Mulher lésbica é chamada de “moço” e tem provador invadido por funcionária da Renner

Uma engenheira civil de 28 anos teve o provador invadido por uma funcionária da Renner em Belo Horizonte, depois que a mulher confundiu a cliente com um homem. Amanda Vieira, que é lésbica e tem o cabelo curto, conta que foi chamada de “moço” pela trabalhadora antes que ela percebesse que se tratava de uma mulher. O caso aconteceu no shopping Del Rey, na Pampulha, nesse sábado (21/08). 

Em conversa com o site BHAZ, Amanda conta que pegou uma calça para experimentar, passou pela funcionária e entrou no provador feminino. Logo em seguida, a mesma funcionária entrou no local gritando: “moço, moço, onde você entrou?”. “Eu não respondi, porque não achei que fosse comigo, não sou moço”, relatou ela. Segundo Amanda, a funcionária então abriu o provador para chamar sua atenção. “Ela colocou o braço dentro do provador e abriu a cortina, enquanto eu estava sem roupa, e me disse; ‘o seu [provador] é do outro lado’. Perguntei por quê, e ela olhou para o meu rosto, meu corpo, viu que eu não era homem e pediu desculpas. Ela disse que um segurança me viu pela câmera e avisou que tinha um ‘homem’ entrando no provador feminino”, relata a engenheira civil.

Amanda saiu da cabine e procurou o gerente da loja para pedir um posicionamento, depois de ter a privacidade invadida. Toda a conversa com o gerente foi gravada e divulgada por uma amiga de Amanda no Twitter. No vídeo, o gerente pede desculpas pelo ocorrido e disse que entraria em contato com a funcionária responsável. “Isso é uma coisa que nunca aconteceu aqui na loja. A gente passa um treinamento para o pessoal falando sobre todos esses problemas, todas essas situações que acontecem. Vou conversar com os colaboradores, entender o que aconteceu. A gente já falou várias vezes sobre diversidade aqui na loja, é uma coisa que a Renner valoriza muito. O que posso fazer é conversar com o pessoal e advertir sobre essa situação”, diz o gerente na gravação.

Amanda conta que já havia sido confundida com um homem antes, mas que esta situação foi diferente por causa da invasão de privacidade que ocorreu. Em resposta ao site BHAZ, a Renner informou que “não tolera qualquer tipo de preconceito e discriminação”. “A empresa sente pelo ocorrido, já entrou em contato com a cliente e está apurando o caso internamente para tomar as medidas cabíveis“, diz a nota.

Confira o vídeo

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!