Alemanha elege pela primeira vez duas mulheres trans para o Parlamento

Duas políticas fizeram história na Alemanha ao se tornar as primeiras mulheres transexuais a conquistar assentos parlamentares nas eleições nacionais do último domingo (26/09). Nyke Slawik, de 27 anos, e Tessa Ganserer, de 44, são do Partido Verde, terceiro mais votado das eleições, que conquistou mais de 100 cadeiras com 14,8% das urnas. 

É uma vitória histórica para os Verdes, mas também para o movimento emancipatório [das pessoas] trans e para a toda a comunidade queer“, disse Ganserer à agência de notícias Reuters. Para ela, os resultados indicam que a sociedade alemã está se tornando mais aberta e tolerante. No topo da lista de prioridades para Ganserer, eleita para o Parlamento regional da Baviera em 2013, está um procedimento mais fácil para ratificar em documentos de identidade a mudança de sexo. A própria parlamentar teve que concorrer à vaga no Bundestag usando seu nome de batismo porque se recusou a se submeter à lei que há 40 anos exige um atestado médico de saúde mental para que uma pessoa transgênero mude legalmente seu nome e sua identidade de gênero. Além disso, Ganserer elencou a permissão para que mães lésbicas adotem crianças.

Em uma época em que as pessoas ainda zombam de nós, quando algumas pessoas trans ainda enfrentam bullying ou perdem seus empregos [devido à sua identidade de gênero], isso é histórico“, disse Slawik. “Pela primeira vez, vamos deixar de ser vítimas na sociedade e ficar em pé por conta própria.” A deputada pediu um plano de ação nacional contra a homofobia e a transfobia, uma lei de autodeterminação e melhorias na lei federal antidiscriminação.

A homossexualidade foi descriminalizada na Alemanha em 1969 e o casamento entre pessoas do mesmo sexo legalizado em 2017. Mas os crimes de ódio contra pessoas LGBTQIA+ aumentaram 36% em 2020, segundo dados da polícia que destacam uma tendência crescente de LGBTfobia em partes da sociedade alemã.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!