Eduardo Leite não focará em causas LGBTs na campanha à presidência: “Nem todo gay precisa ser um ativista”

Eduardo Leite (PSDB), governador do Rio do Grande do Sul, declarou publicamente ser gay. No entanto, o político de 36 anos afirmou que não terá a causa LGBTQIA+ como foco em uma possível campanha para concorrer à presidência do país, em 2022. Com informações da Rolling Stone Brasil

Sabe-se que para concorrer à presidência, Leite precisa primeiro passar pelas prévias de seu partido, contra o governador de São Paulo, João Doria. “Não deixei de trabalhar por essas causas, de respeitar, me envolver e dar meu apoio. Mas não é a causa que eu me debrucei”, contou em entrevista no Palácio Piratini ao Bloomberg Linea. “Nem toda mulher é uma ativista feminista, nem todo negro é um ativista da causa racial e nem todo gay precisa ser um ativista que imponha essa bandeira como a sua causa“, acrescentou.

O governador ainda comentou o que pensa sobre a maneira de Jair Bolsonaro (sem partido) tratar os direitos LGBTQIA+. “No Brasil de hoje, infelizmente, [homossexualidade] é um assunto, especialmente pela forma com que Bolsonaro trata o tema. Não tenho dúvida que tentariam dizer que eu tenho algo a esconder,” finalizou Leite. 

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!