Justiça condena a 18 anos de prisão 1ª mulher acusada de feminicídio no Distrito Federal

O primeiro caso de feminicídio cometido por uma mulher no Brasil já tem sentença. Wanessa Pereira de Souza, de 36 anos, foi condenada pelo Tribunal do Júri de Santa Maria, nesta quinta-feira (23/09), a 18 anos e 9 meses de prisão em regime inicial fechado, sem direito a recorrer em liberdade. Wanessa foi condenada pela morte de Tatiana Luz da Costa Faria, então com 35 anos.

O crime ocorreu há dois anos, em 23 de setembro de 2019, no Distrito Federal. De acordo com a acusação, a ré ateou fogo no apartamento onde morava com a companheira, que teve 90% do corpo queimado. Tatiana ficou internada sete dias no Hospital Regional da Asa Norte (Hran), mas sofreu sete paradas cardíacas e não resistiu aos ferimentos. Wanessa foi condenada pelos crimes de feminicídio por motivo torpe e maneira cruel. A família da vítima conta que, à época do crime, Tatiana estava decidida a se separar e já havia alugado um imóvel para sair de casa. Wanessa não aceitava o fim do relacionamento.

Segundo informações do G1, no Distrito Federal, desde 2017, a Polícia Civil acatou uma recomendação da Organização das Nações Unidas (ONU) e passou a investigar com essa tipificação, todas as mortes violentas envolvendo mulheres. Antes, esses crimes eram registrados como homicídio e, só depois, ao longo da investigação, a tipificação podia ser mudada para crime hediondo, com base na Lei do Feminicídio. O caso ocorrido em Santa Maria é o primeiro do DF em que a autora também é uma mulher. Somente no primeiro semestre, a capital registrou 16 assassinatos de mulheres, investigados como feminicídio.

VEJA + NO PHEENO TV

.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!