Mahmoud move ação contra o Facebook por “perseguição política e homofóbica” na plataforma

O ex-BBB e ex-No Limite, Mahmoud Baydoun está processando o Facebook por restringir as suas publicações no Instagram. O sexólogo afirma ser vítima de “uma perseguição política e homofóbica” nas plataformas.

Desde 2018, o sexólogo usa as redes sociais para compartilhar conteúdos sobre sexualidade. No entanto, ele afirma que há alguns meses vem sofrendo ataques e denúncias que resulta na derrubada de algumas publicações. De acordo com Leo Dias, do Metrópoles, o ex-brother, que já teve até a conta excluída algumas vezes, os ataques começaram depois que ele passou a criticar Jair Bolsonaro (sem partido). Segundo a reportagem, no processo, os advogados de Mahmoud citam a atriz Tatá Werneck que teria escrito diversas vezes a palavra “puta” na mesma plataforma sem sofrer as mesmas consequências.

Procurada pela publicação, a defesa do influenciador digital emitiu uma nota sobre o assunto: “Considerando a aleatoriedade de justificativas com que os posts/stories são derrubados, bem como pelo fato de que não há constância quanto à possibilidade de pedir a reanálise acerca da referida derrubada, ingressamos com uma ação de obrigação de fazer em face do Facebook – dono do Instagram – cujo único objetivo é que o autor possa usufruir da plataforma, sua principal ferramenta de trabalho, e que portanto o Réu se abstenha de efetuar novas desativações de usuário, sem prévia notificação e oportunização de defesa e readequação de eventual conteúdo violador dos termos de uso.”

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!