Militante LGBTQ+ largou PSOL: “Dizem que a juventude é o novo mas nunca a vejo no centro do debate”

Conversamos com Kawan Lopes no estúdio do Pheeno! O educador popular de apenas 22 anos conta que começou na militância durante o Ensino Médio, e se tornou o primeiro Presidente do Grêmio Estudantil de sua escola assumidamente gay!

Nessa época, morou por 4 meses em sua escola reivindicando melhorias durante a Primavera Estudantil. Em 2018, veio a ideia de formar o Coletivo Zona Oeste, impulsionado pela morte da vereadora Marielle Franco, onde fornece acesso a arte e cultura de maneira gratuita para centenas de jovens.

Militante do PSOL desde 2017, Kawan foi o mais novo candidato a concorrer ao cargo de vereador pela Câmara do Rio de Janeiro nas eleições 2020, mas recentemente deixou o partido, pontuando críticas a falta de protagonismo dos jovens: “Dizem que juventude é o novo, mas eu nunca vejo essa juventude inserida no espaço institucional”.

Confira

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!