Escritor sobre não parecer gay: “O quanto minhas opressões me fazem ter uma identidade ‘aceitável’?”

Tivemos um papo super bacana com Ricardo Jaheem no estúdio do Pheeno! O escritor e produtor de material didático conta que no ambiente favelado e machista que cresceu, teve dificuldade de se aceitar como um menino gay.

Ele teve coragem de se mostrar mais como pessoa preta e gay quando conheceu o esposo, há 13 anos atrás, que foi importantíssimo para ele aceitar sua identidade e seu corpo: “Ele me ver como uma pessoa bonita, potente, me ajudou a abandonar marcas da solidão”.

Ricardo compartilha sua experiência como professor e afirma que pessoas pretas em espaço de poder incomodam, por isso recorre ao quilombamento, uma rede de cuidado e proteção entre pessoas negras. O escritor fica incomodado quando dizem que ele não parece gay e reflete: “Será que o fato de que eu não consegui vencer as opressões no meu corpo me fez assim?”.

Confira

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!