Piloto de Fórmula 1 Sebastian Vettel diz que esporte está pronto para ter um piloto assumidamente gay

Campeão mundial por quatro vezes, Sebastian Vettel acredita que a Fórmula 1 está pronta para receber um piloto declaradamente gay. O piloto se posicionou como um “aliado” da causa LGBTQIA+ em entrevista de capa, na edição de julho/agosto, da revista Attitude.

Um piloto gay seria bem-vindo ao ‘grande circo’ agora? Talvez não fosse o caso no passado, mas agora acho que um piloto gay de F1 seria bem-vindo, e com razão. Sinto que um piloto gay ajudaria a acelerar a remoção do preconceito e ajudar a impulsionar nosso esporte em uma forma mais competitiva“, afirmou ele. “Os motoristas mudaram e continuarão mudando, novamente para melhor. Portanto, estou esperançoso e, portanto, gostaria de receber um piloto gay de F1. E, como digo, acredito e espero que nosso esporte esteja pronto para um“, disse Vettel.

O piloto da Aston Martin acredita que a situação melhorou muito nesse sentido. Há mais tolerância. “Sinto que o mundo inteiro mudou muito. Sempre houve pessoas LGBTQIA+ na F1, mas não posso falar por eles ou dizer se eles sentiram que tinham que se esconder ou não. A situação está melhorando, e agora você vê alguns engenheiros e mecânicos que se sentem capazes de serem mais abertos sobre isso”, confessou. “Mas ainda há mais que podemos fazer para melhorar a diversidade e a inclusão no automobilismo, não apenas em termos de sexualidade, mas também apoiando e incentivando mulheres, pessoas de cor, pessoas com deficiência e assim por diante.”

O alemão garante que não foi testemunha direta da homofobia no esporte. “Não diretamente, mas tenho sido indiretamente, tenho ouvido pessoas falarem negativamente sobre as pessoas LGBTQIA+ e a comunidade. Toda vez que eu ouvia essas coisas ditas no passado, sempre me sentia mal, mas hoje tenho mais confiança para falar. Homofobia é preconceito, e preconceito é errado. Realmente é tão simples assim“, desabafou.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!