Famosa grife recebe críticas por falta de modelos negros gordos em campanha

A marca gringa de cuecas e sungas Andrew Christian é uma das marcas mais conhecidas entre os gays em todo o mundo, no entanto, sua mais nova campanha rapidamente gerou críticas nas redes. A campanha intitulada “Thick” (grosso, grande, largo, cheio) trouxe modelos não tão grandes e quase todos brancos.

A marca tradicionalmente tende a optar por modelos musculosos, estereotipados e bonitos e já trouxe para seu portfólio homens trans nos últimos anos, mas ainda assim, brancos e com corpos padrão. Somente agora a marca lançou uma linha com tamanhos maiores, grandes, extragrandes e, após críticas, ainda disse que “tentava trazer tamanhos XL há 10 anos, mas o mercado não permitia”.

Outras grifes, como a Savage X Fenty, de Rihanna, já oferecem tamanhos extragrandes há algum tempo e usam modelos plus size desde seu lançamento. Na campanha de Andrew, ele usa a hashtag #bodypositivitymovement #inclusivity – corpo positivo e inclusão. No entanto, alguns questionaram se as imagens e os modelos eram “inclusivos” o suficiente para justificar a hashtag.

“Seria bom se houvesse algumas cores de pele escuras presentes”, “Mais transparente que uma sacola plástica”, “o único negro de pele clara tá com a pele mais clara ainda na foto”, “onde estão os homens pertos gordos?”, foram alguns dos comentários na publicação da página oficial da marca no Twitter.

Lembramos que Andrew Christian foi aquele que criou uma linha de anrês escrito “escravo” e colocou em um modelo negro, gerando polêmica na época sendo acusada de racismo por muito convenientemente quase nunca usar modelos negros e quando usa, escolhe a peça de fetiche que contém essa palavra.

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!

Bee 40tona

Você vai curtir!