Aos 92 anos, mãe comparece a todas as Paradas LGBT desde 1971 com o mesmo cartaz

Você precisa conhecer Frances Goldin, uma senhorinha de 92 anos que virou carteirinha carimbada na Parada LGBTQ de Nova York. Sempre segurando o mesmo cartaz, Goldin marca presença no evento desde 1971, terceiro ano da parada norte-americana.

Frances Goldin em Parada do Orgulho LGBT da década de 70.

Foi em apoio as suas duas filhas lésbicas que ela resolveu criar um cartaz com a seguinte frase: “Eu amo minhas filhas lésbicas”. “A primeira vez que vi a reação das pessoas ao meu cartaz, fiquei incrivelmente comovida”, contou Goldin ao HuffPost. “As pessoas chegavam em mim com lágrimas nos olhos e me agradeciam por dar esse apoio. Diziam: ‘Você poderia telefonar ao meu pai/ minha mãe? Você poderia ser minha mãe?’ Esses jovens querem desesperadamente que seus pais os amem e apoiem pelo que eles são”.

Anos depois, Goldin resolveu decidiu acrescentar “Protejam a segurança delas”, porque achou que seu cartaz precisava reivindicar uma ação. “Tenho as filhas mais dedicadas, amorosas, úteis… Então, por favor, cuidem de seus filhos gays e lésbicas! A diferença é o que enriquece a todos nós”, afirma a senhorinha. Fofa, não é mesmo?!

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!