Jean Wyllys processa Carlos e Eduardo Bolsonaro por fake news em ‘caso Adélio’

O ex-deputado federal Jean Wyllys (PSOL) entrou nesta quinta-feira com ações judiciais no Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) contra o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (Republicanos) e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filhos do presidente Jair Bolsonaro, por disseminarem fake news com seu nome.

Segundo informações do jornal O Globo, Wyllys pede o pagamento de danos morais que variam entre R$ 20 mil e R$ 100 mil, bem como retratações públicas e a exclusão de publicações difamatórias em redes sociais. O ex-parlamentar, que deixou o Brasil no ano passado, afirma ter sido alvo de uma campanha de informações falsas que o associou a Adélio Bispo, autor do atentado contra o presidente na campanha eleitoral de 2018.

“As fake news causaram danos terríveis, alguns irreparáveis, à minha vida. Estou em exílio por ameaças de morte em parte estimuladas pelas fake news contra mim. Sempre inferi que elas estivessem diretamente ligadas aos Bolsonaro e seus cúmplices. Eu não poderia deixar minha vida ser totalmente destruída sem fazer nada, sem reagir. Daí eu entrar com essa ações na justiça contra os difamadores. Os processados aparecem também nos inquéritos da PF sobre a rede criminosa de fake news”, afirma Wyllys, que está em Boston, nos Estados Unidos, atuando na Universidade de Harvard.

As ações implicam como réus o autoproclamado filósofo Olavo de Carvalho; o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ); os deputados federais Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), Bibo Nunes (PSL-RS) e Bia Kicis (PSL-DF); o advogado Frederick Wassef; o empresário Otávio Fakhoury; os youtubers Oswaldo Eustáquio e Ed Raposo; o militante bolsonarista Luciano Mergulhador e ainda o Movimento Avança Brasil.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!