Funerária dos EUA é acusada de se negar a cremar corpo de homem gay

Uma funenária no sul do Mississipi, nos Estados Unidos, está sendo processada por desistir de cremar um homem de 86 anos após descobrir que, em vida, ele era gay. Robert Huskey era casado com John Zawadski.

De acordo com a Corte do estado, a Picayune Funeral Home disse aos familiares de Huskey que a documentação para a cremação seria agilizada depois que o corpo chegasse no estabelecimento. No entanto, quando o sobrinho de Huskey enviou um formulário à funerária informando que John Zawadski era o marido do idoso, a cremação foi negada.

Segundo reportagem do “New York Post”, eles teriam dito que não lidavam com gente “deste tipo”. O episódio de preconceito fez com que a empresa fosse acionada legalmente a partir de uma iniciativa da “Lambda Legal”, uma organização LGBT sem fins lucrativos. Em um comunicado emitido pela organização, Zawadski disse que se sentiu devastado ao saber da recusa da empresa para transportar e cremar o marido.

“Bob era minha vida, e sempre nos sentimos bem-vindos nesta comunidade. Então, em um momento de tal dor e perda pessoal, fazer o que eles fizeram comigo, com o Bob, não dá para acreditar. Ninguém deveria passar por isso”, acrescentou.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!