Garota é espancada após se recusar ficar com rapaz ao alegar ser lésbica em SP: “Pensei que iria morrer ali”

Uma jovem lésbica de 17 usou as redes sociais para relatar que foi agredida por um homem ao dizer que não queria ficar com ele, em Cubatão (SP). A estudante conta que estava sozinha quando foi abordada pelo agressor. Após recusar a investida do rapaz e revelar sua sexualidade, a vítima foi arrastada e agredida com chutes e socos e ouviu do suspeito que “pessoas como ela têm que morrer”.

Segundo a vítima, agressão ocorreu enquanto ela voltava para casa após uma festa que foi com as amigas. “Ele estava faz tempo dando em cima de mim. Inicialmente eu só tinha dito não e nem contei que era lésbica. Mas ele puxou meu cabelo mesmo assim para me dar um beijo e aí eu falei que gostava de mulher”, disse a jovem ao G1 neste domingo (13/09). “Toda hora que ele passava perto de mim, me empurrava com o cotovelo. Então falei para minhas amigas que iria embora porque estava sentindo que esse cara estava querendo arrumar briga”, relata.

Quando resolveu ir embora, foi abordada na rua. “Nessa hora eu só senti ele me puxando pelo cabelo, momento em que foi me arrastando. Eu cai no chão e ele jogou a moto para o lado e começou a me agredir com socos e chutes”, diz. “Ele dizia ‘se você não passar a gostar de homem, vai morrer agora’ e ‘pessoas como você têm que morrer’. Eu realmente achei que iria morrer, se não tivesse chego alguém, acho que ele iria me bater até ver que eu não estava mais reagindo. Pensei que iria morrer ali”, conta.

De acordo com a vítima, as agressões só terminaram após pedir ajuda a dois rapazes. “Foi aí que eles foram bem rápido até lá, tiraram o homem de cima de mim e foram me levantar. Nesse meio tempo, ele [agressor] subiu na moto e fugiu”, afirma. Os rapazes acompanharam a vítima até a casa dela. A adolescente conta que está inchada, roxa e com dores após as agressões. De acordo com ela, o agressor tem em torno de 25 e 30 anos, mas não o conhece e nem sabe o nome dele.

Confira o desabafo

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!