Família homoafetiva é obrigada a deixar a Rússia após ameaças de morte por estrelar comercial

Uma família da Rússia precisou deixar o país após estrelarem uma campanha de um supermercado local. A mãe Yuma, as filhas Mila e Alina e a namorada de Alina, Ksyusha, foram alvo de diversos comentários lesbofóbicos e decidiram se mudar para Barcelona, na Espanha, depois de receberem ameaças de morte.

Apesar de os relacionamentos homossexuais serem legais na Rússia, desde 2013 existe uma lei no país que proíbe disseminar “propaganda de relacionamentos sexuais não tradicionais” entre jovens russos. Quando o anúncio das quatro mulheres em uma cozinha foi publicado pela VkusVill ele apareceu com um aviso “+18”. Perante a pressão pública e política por parte dos setores conservadores e religiosos, a empresa substituiu o anúncio por outro, colocando uma família heterossexual, e fez um pedido de desculpas público, dizendo que o anúncio original “feriu a sensibilidade de um grande número de clientes e funcionários” e que foi “um erro e uma manifestação de pouco profissionalismo de alguns funcionários”.

Antes de deixarem o país, a família gravou uma entrevista com o youtuber Karen Shainyan, que discute questões LGBT em seu canal. Na conversa, Yuma disse ser capaz de ignorar as mensagens de ódio, mas que os comentários online direcionados à sua neta de oito anos a assustaram. “Eu fiquei abalada pelos comentários à minha neta, em que as algumas pessoas disseram que a queriam violar, matar, esfaquear uma criança que só está sentada e a sorrir numa fotografia”, confessou.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!