SP: Travesti agredida com blocos de concreto na cabeça tem alta após mais de um mês internada

Uma travesti de 32 anos que foi agredida com blocos de concreto em Avaré (SP) teve alta nesta semana, depois de mais de um mês internada. O suspeito da agressão mantinha um relacionamento amoroso com a vítima e foi preso no dia 3 de setembro, quando cometeu o crime.

De acordo com a Santa Casa de Avaré, a jovem chegou a ficar intubada em ventilação mecânica, em estado grave, mas felizmente teve alta nesta segunda-feira (18/10), depois de mais de um mês hospitalizada. O crime ocorreu durante a madrugada na estação ferroviária de Avaré. Segundo a Polícia Civil, a vítima e o suspeito mantinham um relacionamento amoroso e se envolveram em uma briga por ciúmes.

Durante a discussão, a polícia informou que a travesti caiu no chão, e que o homem a agrediu com duas tijoladas na cabeça, fugindo em seguida. O caso passou a ser investigado como tentativa de homicídio e o suspeito foi localizado horas depois na casa do pai dele, na Vila Jardim. Ele foi preso em flagrante e depois teve a prisão convertida em preventiva.

Agora, de acordo com o delegado responsável pelas investigações, Marco Aurélio Gonçalves, a Polícia Civil vai ouvir a vítima para concluir o inquérito. Ela também vai passar por exame de corpo de delito para que a polícia possa analisar a gravidade das lesões sofridas.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!