Ex-policial militar acusado de matar duas travestis a tiros é condenado a 83 anos de prisão

Submetido a júri popular nesta quinta-feira (11/11), em São José do Rio Preto (SP), o ex-policial militar Benedito de Jesus Carvalho, acusado de matar a tiros duas travestis e tentar assassinar outras duas, foi condenado a 83 anos de prisão em regime fechado.

Os crimes foram cometidos no dia 15 de agosto de 2012, com apenas uma hora de diferença entre o primeiro e o último. As vítimas, Eduarda e Isabeli, não resistiram aos ferimentos. Benedito atirou e feriu outras duas travestis, Jully e Renata, que felizmente sobreviveram a tentativa de assassinato. De acordo com promotor de Justiça José Márcio Rossetto Leite, a pena aplicada foi maior do que a esperada porque a juíza Gláucia Véspoli Oliveira considerou os antecedentes e a reincidência criminal de Benedito.

Segundo informações do G1, o acusado foi expulso da Polícia Militar por assassinar menores de idade, possui diversas passagens e estava foragido da penitenciária de Iaras (SP). “Ele tem mais de 100 anos de prisão para cumprir. Dificilmente sairá da cadeia, a não ser se for por uma questão humanitária”, disse Rossetto. “Ele disse que todas as provas foram plantadas e que o usaram como bode expiatório. Porém, as denúncias foram aceitas na íntegra. Ele foi condenado por dois crimes de homicídio consumado qualificado e dois crimes de homicídio tentado qualificado”, afirmou. O advogado de defesa de Benedito afirmou que vai recorrer da sentença.

Na época em que os crimes foram cometidos, uma travesti também foi presa suspeita de encomendar a morte das vítimas. Diferente do acusado, ela não foi submetida a júri popular.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!