DJ mineiro fez terapia para se aceitar: “Gostava de ser o gay mais homem, engrossava a voz”

Conversamos com DJ Vix no estúdio do Pheeno! Natural de Belo Horizonte, o mineiro conta que namorou algumas meninas antes de se assumir, mas relembra que seu primeiro crush em um menino foi aos 6 anos. Na escola, ser LGBTQIA+ não gerou maiores problemas para ele, já que existiam outras pessoas que também eram mas, ainda assim, ele demorou para se aceitar como é: “Gostava de ser o gay mais homem, engrossava a voz, mas agora isso acabou”. Como DJ, Vix investe em performance unindo música e dança e sonha em começar como cantor e levar seu trabalho pelo Brasil.

Confira

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!