Leandro Narloch perde ação contra Fefito após comentários homofóbicos e sorofóbicos

O jornalista e escritor Leandro Narloch, de 44 anos, perdeu a ação judicial que movia contra Fefito. O motivo do processo foi um texto escrito pelo jornalista no UOL em julho de 2020 no qual afirmou que o contrato de Narloch com a CNN foi rescindido unilateralmente pela emissora após comentários homofóbicos.

Na época, Narloch gerou indignação por usar termos como “opção sexual“, além de restringir a contaminação por HIV à população homossexual e associá-la à promiscuidade ao comentar a decisão do Superior Tribunal Federal (STF) de liberar a doação de sangue por homossexuais. “Não há dúvida disso, os gays, os homens gays, eles têm chance muito maior de ter aids, né?! Em 2018, uma pesquisa mostrou que 25% dos gays de São Paulo eram portadores de HIV“, disse Narloch em 2020. Até àquela data, este grupos só poderiam doar sangue caso não tivessem feito sexo nos últimos 12 meses.

Segundo o UOL, a ação movida por Narloch contra Fefito foi considerada improcedente pelo juiz, que ressaltou que o ex-CNN reconheceu, em suas redes sociais, ter feito um comentário que “pudesse parecer a alguns homofóbicos ou preconceituosos“. “O Autor reconheceu em rede social que seu comentário pode ter parecido a alguns homofóbico ou preconceituoso (fl. 55). E lamentou tal fato, reforçando seu respeito às minorias. Nesse contexto, não há ato ilícito cometido pelo Requerido ao noticiar o fato na internet (fls. 25/27). Mesmo entendendo – sem excesso/abuso do direito – que o comentário do Autor foi homofóbico“, disse o juiz em dua decisão. Narloch e seus advogados ainda podem recorrer da decisão judicial.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!