Alan Turing, matemático gay, será homenageado na cédula de 50 libras

LGBTs também são geniais!

Alan Mathison Turing, nascido em Londres em 1912, é considerado o pai da computação e da inteligência artificial. O matemático foi o primeiro a decifrar códigos nazistas, durante a Segunda Guerra Mundial, pós-guerra, foi perseguido por ser gay.

Foi anunciado nessa segunda-feira (15/07), pelo Bank of England, que Turing será homenageado na cédula de £50 (libras esterlinas – moeda vigente na Inglaterra). “Alan Turing era um matemático excepcional, cujo trabalho tem um impacto enorme na forma como vivemos hoje”, afirmou Mark Carney, líder do Banco da Inglaterra. Alan teve sua história contada no longa metragem O Jogo da Imitação (2014).

Turnig ficou conhecido após conseguir decifrar o Enigma (código de comunicação interna entre os países do Eixo – países aliados a Hitler, durante a Segunda Guerra: Alemanha, Japão e Itália). O matemático conseguiu tal proeza após inventar a, então apelidada, “Máquina de Turnig”, que deu origem ao que atualmente chamamos de computador. Essa máquina funcionava através aspectos lógicos de funcionamento, como memória, estados e transições, o que também deu origem à atual inteligência artificial. Com isso, Turing conseguiu antecipar o fim da guerra em, no mínimo, dois anos.

Após se assumir gay publicamente, em 1950, Alan foi demitido e começou a ser perseguido pelo governo, uma vez que ser homossexual era considerado crime na Inglaterra, até que em 1952, mesmo depois de ter salvado o mundo, ter sido condecorado e ter recebido diversos prêmios, Alan foi condenado e foi submetido a passar por uma castração química como punição. Em 8 de junho de 1954 Turing foi encontrado morto, por seu criado, após ter ingerido uma dose letal de cianeto (veneno), que introduziu dentro de uma maça (a maçã foi encontrada ao lado dele, na cama).

Mais de 60 anos depois, em 2013, a atual rainha da Inglaterra, Rainha Elizabeth II, concedeu a Turing um perdão póstumo, por ter sido condenado por “indecência grosseira” e agora, em 2019, dentre uma seleção de quase 990 cientistas, o matemático recebe essa grande homenagem póstuma, que é ter, além de seu rosto, suas fórmulas e sua ‘máquina’ (partes fundamental de seu legado) estampados nas próxima cédulas de 50 libras esterlinas.

“Como o pai da ciência da computação e da inteligência artificial e também como um herói de guerra, as contribuições de Turing foram amplas e abriram caminhos. Turing é um gigante em cujos ombros nós nos apoiamos”, finaliza o líder do Bank of England.

Arquiteto, DJ, VJ, Produtor de Eventos, designer gráfico, editor de vídeos, dono de concursos drag e o mais novo colaborador para conteúdos sobre diversidade LGBTQIA+ para o portal Pheeno.com.br