Durante live, Bolsonaro anuncia veto de recursos a filmes LGBT

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (15/08), durante sua live semanal, que a Ancine não irá liberar verbas para alguns filmes que tentaram captar recursos públicos. Ele citou filmes com temáticas de LGBT e racismo para dizer que as obras “não têm cabimento” e não devem receber recursos da Agência Nacional do Cinema.

Na ocasião, o diretor citou o filme “Transversais” que fala sobre a vivência de transexuais no Ceará e criticou a produção “Afronte”, que tratará sobre a vida de jovens negros gays. “Um filme chama ‘Transversais’. Olha o tema: ‘Sonhos e realizações de cinco pessoas transgêneros que moram no Ceará’. Conseguimos abortar essa missão. Outro filme com esse tema: ‘Afronte’. ‘Mostrando a realidade vivida por negros, homossexuais no Distrito Federal.’ Não entendi nada, confesso. A vida particular de quem quer que seja, ninguém tem nada a ver com isso, mas fazer um filme sobre negros homossexuais no DF, confesso que não dá pra entender. Mais um filme que foi pro saco”, disse Bolsonaro.

“Confesso que não entendi por que gastar dinheiro público com um filme desse, o que que vai agregar no tocante a nossa cultura, as nossas tradições. Não tô perseguindo ninguém, cada um faz o que bem entender e que vai ser feliz. Agora gastar dinheiro público para esse tipo de filme…”, continuou. Bolsonaro disse também que, se pudesse, “degolaria as cabeças” da diretoria da Ancine.

Por último, ele criticou uma obra chamada “Religare Queer”. “O filme é sobre uma ex-freira lésbica!” – falou Bolsonaro, enfatizando o termo – “e daí são dez episódios. Tem a ver com ‘religiões tradicionalmente homofóbicas e transfóbicas’. Tudo tem a ver… sexualidade LGBT com evangélicos, católicos, espíritas, testemunhas de Jeová, umbanda, budismo, candomblé, judaísmo, islamismo e Santo Daime”, disse ele, aparentemente lendo os temas abordados na obra. Ele disse novamente que essas obras não têm bilheteria. “É dinheiro jogado fora, além de divulgar… isso realmente não tem cabimento”.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!