Jovem corre risco de morte após ter mangueira de ar introduzida no ânus por amigos de trabalho

Um adolescente de 17 anos foi internado em estado grave depois de ter uma mangueira de ar introduzida no ânus durante uma “brincadeira”, se é que podemos chamar assim, em um lava-jato de Campo Grande. O abuso foi denunciado pela família do garoto, que trabalhava no local. Um boletim de ocorrência foi registrado na sexta-feira (03/02), segundo informações da assessoria de imprensa da Polícia Civil.

O dono do lava jato, Thiago Giovanni Demarco Sena, de 20 anos, e o funcionário Willian Henrique Larrea, de 30 anos, são os suspeitos de cometerem o crime. O menino foi socorrido e deu entrada na Santa Casa na sexta-feira (03/02). O jovem teve que passar por uma cirurgia e foi levado para o leito, mas teve que ser transferido para a ala vermelha do hospital no domingo (05/02), depois de ter rebaixamento de consciência por volta das 21h. Segundo o hospital, ele corre o risco de perder parte do intestino.

“Brincadeira”

A família da vítima disse para a polícia que recebeu uma ligação do dono do lava-jato falando que tinha acontecido “uns negócios” com os adolescentes e que ele precisava ser levado urgente ao hospital. Na unidade de saúde, os familiares foram informados que o adolescente brincava no trabalho com os suspeitos quando o funcionário o segurou e dono do local inseriu a mangueira de compressão no ânus da vítima.

O caso foi registrado como lesão corporal dolosa na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Piratinga e deve ser investigado por uma unidade especializada.

Família pede por justiça

Indignada com a agressão contra o filho, a mãe do jovem, que preferiu manter o anonimato, pede que os suspeitos sejam punidos. “Eu quero que eles paguem pelo que fizeram. Acabaram com a vida do meu filho. Quero justiça. Só vou sossegar quando ver eles atrás das grades”, afirmou em entrevista à Rede Globo local.

“Diz que seriam uma brincadeira, que iam pegar o ar e colocar no ânus do menino. A pressão do ar era tão forte que fincou [a mangueira] dentro dele. Esse ar vazou, estourou o intestino grosso e saiu pela pele, pelas laterais, comprimindo os pulmões dele e trancando as válvulas respiratórias”, afirmou o pai do jovem.

A polícia aguarda o depoimento da vítima e laudos médicos para concluir o que aconteceu. Segundo o delegado Paulo Sérgio Lauretto, “os suspeitos não foram presos porque se apresentaram espontaneamente e porque não oferecem risco à vítima”.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!