Crivella admite que censurou evento com Jesus travesti: “Direitos de liberdade religiosa”

O prefeito Marcelo Crivella voltou a afirmar, nesta quarta-feira (06/06), que não admitirá a exibição de espetáculos ou mostras “que ofendam a religião das pessoas” em espaços da prefeitura. Na semana passada, Crivella divulgou um vídeo nas redes sociais comentando a suspensão do espetáculo “O Evangelho segundo Jesus, rainha do céu”.

De acordo com a Secretaria Municipal de Cultura, a peça estava na programação de uma das arenas do Parque Madureira, mas não houve cancelamento do espetáculo em si. A pasta afirma que houve uma licitação e o perdedor do pregão conseguiu na Justiça o direito de impedir a realização de qualquer atividade até a solução do imbróglio. “Se você considera censura, eu vou dizer a você que é. É uma censura que garante os direitos de liberdade religiosa e das pessoas não serem ofendidas na sua liberdade religiosa”, disse o prefeito.

“Não chamo isso de censura. Enquanto eu for prefeito, nos espaços públicos administrados pela prefeitura, nós não permitiremos qualquer manifestação que ofenda a religião das pessoas — reiterou ele durante a abertura dos Jogos Estudantis no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca”, continuou. A decisão de interromper as atividades é do juiz Marcelo Martins Evaristo da Silva.

Nesta quarta-feira, produtores da mostra “Corpos visíveis” se reuniram com as comissões de Cultura da Câmara Municipal e da Alerj. Nenhum representante da secretaria de Cultura ou do prefeito Marcelo Crivella estiveram presentes.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!