“Se Jesus vivesse hoje, seria uma mulher trans”, diz padre excomungado da igreja por defender união homoafetiva

Na noite desta quinta-feira (17/06) o jornalista e terapeuta Flávio Jayme bateu um papo com Padre Beto em sua conta no Instagram. Durante a conversa, Padre Beto, que foi excomungado em 2013 por defender a união homoafetiva, trouxe diversas questões relativas à religião e homossexualidade.

Todas aquelas frases que condenam a homossexualidade que as pessoas gostam de repetir da bíblia tinham um contexto que não cabe mais hoje. Jesus nunca condenaria a homossexualidade. (…) Se tem alguém que realmente inventou a tal ‘ideologia de gênero’ foi o cristianismo”, afirmou Beto. Ele diz ainda como acha que Jesus seria se nascesse hoje: “Ele seria de um país latino como o Paraguai, seria pobre e uma mulher trans”.

Ainda durante o papo, ele aproveita para criticar o que alguns chamam de “família tradicional“. “Aquela família que os católicos tanto idealizam como a ‘família tradicional’ não tem nada de tradicional. É formada por uma mãe solteira e um homem que casou com ela assumindo o filho de outro para salvá-la. Jesus fazia parte da minoria marginalizada da sociedade, ele nunca condenaria esta mesma minoria”, afirma.  “Amar não é pecado. Quem está em pecado é a religião cristã. Brumadinho é um pecado. O que este presidente está fazendo negando a pandemia é um pecado”, concluiu o religioso.

Confira

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!