Capitão do Vasco diz que foi obrigado pelo time a usar uniforme nas cores do arco-íris em homenagem a LGBTs

Leandro Castán, capitão do Vasco, afirmou em coletiva de imprensa, na última quinta (02/09), que foi “obrigado” a vestir um uniforme com a faixa nas cores do arco-íris em homenagem a comunidade LGBTQIA+. O assunto foi abordado porque no dia em que o clube anunciou ações em apoio a LGBTs, o zagueiro fez uma postagem com o seguinte trecho bíblico: “Sejam férteis, multipliquem-se e encham a terra”’. Na época, Castán foi criticado por torcedores, que viram na mensagem uma indireta à ação do Vasco.

O defensor, que não deu entrevista desde o período, explicou sua postura no dia da partida. “Eu sou o primeiro a respeitar a instituição e o torcedor. Tenho gratidão pelo Vasco. No momento no qual expus o que acredito, quando eu fui, teoricamente, obrigado a vestir uma camisa, acho que algumas pessoas não gostaram. Mas eu respeito a todos e acho que tenho de ser respeitado”, disse. O atleta é evangélico e já deu depoimentos públicos sobre como sua fé o ajudou a superar o momento mais difícil de sua vida, quando foi diagnosticado com um tumor na cabeça. O comentário, no entanto, não foi bem recebido pelo público, e Castán voltou a receber uma enxurrada de críticas.

Após a coletiva, diante da repercussão negativa e sem citar diretamente o assunto, o jogador compartilhou uma passagem bíblica exposta no livro de 1 Coríntios. “Pouco me importa ser julgado por vocês ou por qualquer tribunal humano; de fato, nem eu julgo a mim mesmo. Embora em nada minha consciência me acuse, nem por isso justifico a mim mesmo; o Senhor é quem me julga“, postou ele.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!