“Sinto a leveza e o peso de ser uma mulher gay em um cenário musical brasileiro”, desabafa Ludmilla

Ludmilla abriu o coração e falou sobre a cobrança que ela recebe sobre se posicionar nas redes sociais em relação à bandeiras e vivências. Em entrevista ao jornalista Leo Dias, do Metrópoles, cantora ressaltou que ela possui suas próprias bandeiras sendo uma mulher negra e homossexual. 

As bandeiras são minhas. Eu tenho vivências dessas bandeiras. Eu não preciso ficar publicando sobre essas bandeiras porque eu já vivo elas. Eu vivo isso o tempo inteiro“, disse Lud. “Eu sinto a leveza e o peso de ser uma mulher gay no cenário musical brasileiro de hoje. Então essa é uma necessidade que eu não sinto, de ficar fazendo textão, porque essa já é uma vivência minha“, explicou. Apesar de seus perfis na web serem controlados por uma equipe, que procura formas de impedir ou excluir preconceitos contra ela, a artista afirma que mesmo assim sofre com ataques nas redes. “Eu posso tá salvando um cachorro de um incêndio… vai ter [comentário] homofóbico, racista“, conta.

Os ataques sofridos ao longo da carreira levaram Ludmilla a buscar terapia. “Já abalou muito. Hoje não mais, pois comecei a me aprofundar no assunto, faço terapia, estou muito ocupada e não tenho tempo para me preocupar com isso. Mas já sofri muito e saí do Instagram por isso. Comecei a fazer terapia por conta dos comentários em rede social. Hoje ela é minha prioridade e faz tanta diferença”, revela a cantora.

Ludmilla contou também sobre o início de seu relacionamento com Brunna Gonçalves e como se auto sabotava com medo do amor. “É difícil encontrar alguém para dividir a vida tão cedo. No início do relacionamento precisava ter certeza de que ela estava comigo pelas razões certas e fiz alguns testes para saber se ela gostava de mim mesmo“, disse. “Fiz de tudo para que ela não gostasse de mim porque eu não queria gostar muito dela. Tinha medo de amar, de mostrar meus medos, minhas manias, minhas angústias. E aí ela me conquistou e eu não sou fácil de conquistar”.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!