ONU repudia a estigmatização de varíola de macacos como doença gay: “Qualquer um pode pegar”

A Agência da Aids da Organização das Nações Unidas (UNAIDS, da sigla em inglês) divulgou comunicado condenando a esterotipação da “varíola dos macacos” como uma doença de gays. Segundo o órgão, uma proporção significativa dos casos foram identificados entre homens gays, bissexuais e outras parcelas da população masculina que mantém relações sexuais com o gênero masculino.

A transmissão do vírus, no entanto, ocorreu muito provavelmente via contato físico próximo com infectados pela varíola dos macacos, podendo afetar qualquer pessoa, independente de orientação sexual ou etnia. Segundo a UNAIDS, o retrato dos africanos e pessoas LGBTQIA+ feito em alguns reportes da doença reforça estereótipos e aumentam o estigma dessas populações. “Uma parte significativa dos casos foi identificada entre homossexuais, bissexuais e outros homens que fazem sexo com homens, com alguns casos identificados por meio de clínicas de saúde sexual“, diz o texto, divulgado no domingo (22/05). “A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que as evidências disponíveis sugerem que quem está em maior risco são aqueles que tiveram contato físico próximo com alguém com varíola, e esse risco não se limita aos homens que fazem sexo com homens“, aponta.

Mesmo se estamos vendo alguns casos entre homens que fazem sexo com homens, esta não é uma doença gay, como algumas pessoas nas mídias sociais tentaram rotulá-la“, alertou Andy Seale, consultor de estratégias dos programas globais de HIV, hepatite e infecções sexualmente transmissíveis da Organização Mundial da Saude (OMS). “Qualquer um pode contrair varíola dos macacos através de contato próximo“, explica.

A transmissão secundária, ou seja, de humano para humano, pode resultar de contato próximo com secreções infectadas das vias respiratórias, lesões na pele de um indivíduo infectado ou contato com objetos recentemente contaminados com fluidos biológicos de um paciente. Roupas, lençóis e toalhas de banho de pessoas infectadas também pode ser um vetor. Já a possibilidade de contaminação por meio de relação sexual ainda está sendo estudada. Nesta semana, uma sauna, em Madri, onde vários homens teriam tido contato com o vírus, foi fechada. 

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!