Papa Francisco critica homossexuais na igreja: “Não há lugar para esse tipo de feição”

Foto: REUTERS/Remo Casilli

Em entrevista publicada num livro divulgado nesta segunda-feira (03/12), o papa Francisco diz estar preocupado com a homossexualidade no clero. “Na nossa sociedade, até parece que a homossexualidade está na moda, e essa mentalidade influencia de certa forma também a Igreja”, afirmou o pontífice.

A homossexualidade no clero “é algo que me preocupa”, afirmou Francisco, revelando que se trata “de um assunto muito sério”. Para o papa, pessoas com “essa tendência profundamente enraizada” não deveriam ser admitidas em seminários ou ordens religiosas. Na entrevista, o papa Francisco afirma que seria um erro acreditar que gays no mundo sacerdotal “não é assim tão grave” e que a homossexualidade seria apenas uma forma de afeição. “Na vida consagrada e na vida sacerdotal, não há lugar para esse tipo de afeição”, afirma.

As declarações estão do livro de entrevistas do autor Fernando Prado, intitulado “La fuerza de la vocación” (“O poder da vocação”) e que deve ser publicado em várias línguas. A maior parte da obra destaca Francisco discutindo o seu chamado para o serviço religioso. A Igreja Católica rejeita a prática da homossexualidade. Porém, Francisco falou repetidamente no passado contra a discriminação de gays e lésbicas.

Para a decepção dos fiéis homossexuais, no entanto, Francisco não mudou o caminho da doutrina católica. Também no Sínodo da Juventude, em outubro último, ficou claro não haverá mudanças fundamentais quanto ao tema da homossexualidade.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!