Prefeitura do Rio lança programa de formação profissional para pessoas transexuais

A Coordenadora Especial da Diversidade Sexual da Prefeitura do Rio, ligada à Secretaria da Casa Civil, vai lançar na terça-feira (30/05) um plano de Educação e formação para homens e mulheres transexuais.

O grupo minoritário é um dos mais vulneráveis do país: 79% abandonam os estudos, e a expectativa de vida é de apenas 30 anos. Outros órgãos do governo municipal também vão contribuir com o projeto social “Trans+Respeito”: A secretaria de Direitos Humanos liberou verbas para custear bolsa-auxílio, passagem e alimentação para alunos, e a Secretaria de Cultura vai buscar oportunidades de emprego nos espaços culturais.

O evento vai ser apresentado em um evento no Museu do Amanhã, que já apoia a causa. Recentemente, a instituição incorporou transexuais em sua equipe de recepcionistas. Além disso, os mestres de cerimônia serão dois servidores municipais que, atualmente, já são conhecidos pelos seus nomes sociais, que correspondem ao gênero com o qual se identificam: Jordhan Lessa e Beatriz Cordeiro.

O coordenador da Diversidade Sexual, Nélio Geogini, espera trazer visibilidade para a população trans: “Eles estiveram por muito tempo à margem da sociedade, chegou a hora de mudar, desconstruir”.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!