Carro com coordenador de diversidade sexual do Rio é alvo de ataque a tiros

O carro em que estava o coordenador Especial da Diversidade Sexual da prefeitura do Rio de Janeiro, Nélio Georgini da Silva, foi alvo de um ataque a tiros na tarde do último domingo (01/03), na zona norte da cidade, por volta das 14h30, entre os bairros de Benfica e Rocha.

Em pronunciamento, o coordenador declarou que teve o veículo perseguido pelos criminosos após deixar um restaurante onde estava com os pais e o marido. “Saímos do restaurante, deixamos meus pais em casa. De repente veio uma moto. A moto foi nos seguindo, do meu lado [do banco do carona], com arma apontada, eu dando instruções porque meu marido não conhece a região. Aí viramos numa rua e ouvimos os tiros. Nenhum atingiu o carro, não sei o que atingiram”, disse.

Filiado ao mesmo partido do prefeito Marcelo Crivella, PRB, Georgini assumiu a pasta em janeiro de 2017. Homossexual assumido, ele é evangélico e está casado há oito anos com o bancário Ronie Adams. Em depoimento, o coordenador disse que nunca sofreu ameaças por causa de sua atuação na militância LGBT, e acredita que o ataque não tenha relação com seu trabalho. “Talvez estivesse no local errado na hora errada. De fato estão matando todo mundo no Rio”.

Nas redes sociais, Nélio voltou a se pronunciar sobre o ocorrido e aproveitou para criticar a intervenção federal no estado. “Seríamos outros para a estatística de uma cidade roubada, acabada, que vive da maquiagem de uma intervenção que até agora nem uma mosca prendeu! Não há um militar na zona norte!”, escreveu.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!