“Me recuso a ir a um festival cujo dono é alguém anti-LGBT”, diz Cara Delevingne sobre Coachella

Cara Delevingne faltou à edição deste ano do Coachella como forma de protesto. Fã de música, a modelo não quis estar presente no festival por acreditar que o organizador do mesmo, Philip Anschutz, vai contra o espirito paz e amor que o festival transparece. A modelo acusou o dono do festival, Anschutz de ser homofóbico e a favor das armas.

Por isso, Cara Delevingne tomou a decisão de não comparecer na edição do evento deste ano, usando a hashtag #NoChella. A modelo adianta ainda que não voltará a comparecer a um evento organizado por alguém que faz fortuna a financiar políticas a favor do armamento e anti-LGBT. No entanto, Delevingne foi questionada por seguidores após uma publicação onde elogia a performance de Beyoncé no festival. Foi, então, que a atriz usou o stories para explicar a situação.

“Algumas pessoas estão comentando o fato de eu ter postado sobre minha raiva contra o dono do Coachella e depois sobre a Beyoncé. Minha hashtag era #Nochella. Eu ainda me recuso a ir a um festival cujo dono é anti-LGBT e pró-armas”, escreveu a atriz. “Eu posso expor aquele homem e o festival e mostrar meu apreço por uma artista ao mesmo tempo. Só porque eu amo a Beyoncé não significa que eu agora amo o Coachella”, continuou.

“Eu ainda não iria. E eu não vou deixar nada ficar entre minha demonstração de amor ou ódio por qualquer coisa. Não deixe ninguém ficar entre você e a sua verdade”, finalizou Delavigne. E vocês?! Concordam com a atitude da modelo?!

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!