Mais de 100 alunos apareceram de saia para protestar contra preconceito e masculinidade tóxica em escola

Mais de 100 meninos apareceram usando saias na escola Collège Nouvelles Frontières, no Canadá, para protestar contra a discriminação, homofobia e sexismo nas dependências da instituição de ensino.

Segundo informações do portal Gay Times, o estudante Zachary Paulin, de 16 anos, foi o responsável por liderar a ação. Inspirado por protestos que viu em Montreal, Paulin contou a um grupo de amigos sobre seu plano de aparecer usando uma saia. Inicialmente, ele pensou que apenas 30 pessoas alunos iriam participar, mas mais de 100 colegas estudantes apareceram, todos vestindo saias. Em declarações ao canal CBC, ele disse que ficou surpreso com o resultado. “Eu sabia que seria um grande movimento, mas não tão grande”, afirmou. “Fiquei agradavelmente surpreendido.”

Paulin também postou uma declaração no Instagram compartilhando uma mensagem explicando por que ele e seus amigos decidiram protestar. “Hoje, você provavelmente viu que alguns meninos, inclusive eu, usavam saias”, escreveu Paulin na publicação com algumas fotos do dia. “Bem, deixe-me falar um pouco sobre por que fizemos isso. Basicamente, um menino de saia é um sinal de resiliência, solidariedade e apoio na batalha interseccional pela igualdade entre os sexos”, continuou.

O duplo padrão de como a sociedade vê nossas mulheres e nossos homens é evidente; se uma mulher decide usar terno ou calça, roupa associada à masculinidade, não é grande coisa. Mas no momento em que um homem faz algo remotamente feminino – seja pintando a unha, usando maquiagem ou, no nosso caso, uma saia – os dedos apontam e ele se sente insultado. As pessoas dirão que ele não é um ‘homem de verdade’ e assumirão automaticamente sua orientação sexual“, diz Paulin.

Então, ao usar saia, estamos unidos e juntos contra a sexualização das mulheres e enviando uma mensagem contra a masculinidade tóxica que impede os meninos de serem quem realmente são, sem julgamento. Estamos em 2020, devemos ter a mente aberta e lutar para acabar com a discriminação, homofobia e sexismo. Isso é o que nossas saias representam“, finaliza o estudante. Maravilhoso, né gente?!

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!