Billy Porter critica Harry Styles de vestido na capa da Vogue: “Tudo o que ele precisa fazer é ser branco e hétero”

Billy Porter, que recentemente interpretou a fada madrinha na nova versão de “Cinderella“, criticou a escolha da revista Vogue que, em novembro de 2020, colocou Harry Styles como o primeiro homem a estrelar uma capa da edição de vestido.

Em entrevista ao The Sunday Times’ Style, Porter confessou ter ficado decepcionado e afirmou como deveria ter levado próprios créditos porque foi pioneiro na moda não binária. “Eu, pessoalmente, mudei todo o jogo. E isso não é ego, é apenas um fato. Fui o primeiro a fazer isso e agora todo mundo está fazendo. Sinto que a indústria da moda me aceitou porque foi obrigada. Eu criei a conversa e ainda assim a Vogue colocou Harry Styles, um homem branco heterossexual, em um vestido em sua capa pela primeira vez“, disse o ator de 52 anos.

Porter ressaltou que ele não tem nada contra Styles, mas questiona a decisão da revista. “Não estou falando mal de Harry Styles, mas é ele que você vai tentar usar para representar esta nova conversa? Ele não se importa, só está fazendo isso porque é a coisa certa a fazer“, afirmou. “Isto é minha vida. Tive que lutar minha vida inteira para chegar ao lugar onde pudesse usar um vestido para o Oscar e não ser morto. Tudo o que ele precisa fazer é ser branco e heterossexual“, concluiu o ator.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!