Transmissão de HIV entre heterossexuais é a que mais cresce no Brasil

aids-combate-lacos-istock

Engana-se quem pensa que no Brasil o maior índice de transmissão do vírus HIV é registrado entre os homossexuais! Segundo levantamento do sociólogo Júlio Jacobo Waiselfisz, com base nos dados do Ministério da Saúde, desde os anos 90, a contaminação hétero virou a principal forma de disseminação no país, com um salto de casos de 43% para 62% só entre os anos de 1996 e 2006.

Em 2012, 67,5% dos casos informados pela rede de saúde pertenciam ao grupo de heterossexuais, sendo a maioria formada por mulheres, com 58,2%. O levantamento também mostra que a maior incidência de contaminação está na faixa etária de 30 a 49 anos de idade, em especial as mulheres de baixa renda — a maioria donas de casa casadas ou em relacionamentos estáveis.

De todos os casos notificados de AIDS entre indivíduos do sexo feminino em 2012, quase 87% foram resultado de relações heterossexuais com parceiros contaminados. O Rio é o quarto estado com maior incidência do vírus: 28,7 por cem mil habitantes, acima da média nacional, que é de 20,2. A maior taxa do país está no Rio Grande do Sul, de 41,4, seguido por Santa Catarina (33,5) e Amazonas (29,2).

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!