Engenheira acusa pastor de agressão homofóbica: “Ele gritava que eu iria pro inferno”

lesbica-agressao-pheeno-capa

A Delegacia de Combate a Crimes Discriminatórios (DCCD) da Polícia Civil investiga uma denúncia de agressão por homofobia. Segundo os policiais, um pastor é suspeito de ter desferido tapas e socos contra uma mulher lésbica, que relata ter sido arrastada para dentro de uma igreja evangélica, no bairro da Sacramenta, em Belém.

O caso ocorreu no dia de Natal, após uma discussão envolvendo uma vaga de garagem. A engenheira da computação Thayana Mamoré relata que no domingo (25/12) procurou o pastor na igreja perto de sua residência para reclamar que ele havia estacionado em frente à garagem da casa, impedindo a entrada e saída de veículos no local.

“Ele disse para eu tomar cuidado com a mão de Deus, e saiu atrás de mim. Fui arrastada para dentro da igreja, enquanto ele gritava que eu iria pro inferno porque eu era sapatão”, conta. A engenheira diz que sofreu uma série de tapas na cabeça, e foi atingida por um soco. “Fui vítima de crime de ódio”, conclui. Segundo Thayana, sua namorado foi impedida de entrar na igreja por fiéis, que trancaram a porta.

“Um vizinho viu a situação e conseguiu forçar as portas da igreja e me tirar de lá. Ele me salvou, porque eu não sei quanto tempo mais iria durar aquela sessão de violência”, conta. A engenheira diz que jamais imaginou ser alvo de um ataque homofóbico.

“Um homem que é líder religioso agir assim é alarmante, porque ele tem poder de influência na fé das pessoas e dissemina esse ódio. Um homem que deveria pregar o amor, age de forma odiosa”, desabafa. O caso foi denunciado junto a DCCD, que atualmente funciona no prédio da DIOE, na terça-feira (27). O suspeito de ter agredido a engenheira foi intimado a depor na quinta-feira (29), para presetar esclarecimento a respeito das alegações de injúria homofóbica e lesão corporal.

Confira o relato completo…

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!