Mulher trans e jovem cis são vítimas de estupro coletivo em praia da Itália

A polícia italiana prendeu neste domingo (03/09) o quarto agressor responsável pelo estupro coletivo de uma turista polonesa e uma transexual peruana na praia de Rimini, na Itália. No sábado (02/09) dois irmãos marroquinos, um de 15 e outro de 17 anos, e um nigeriano de 16, também foram presos e confessaram ter participado do crime.

O caso aconteceu no último dia 25 de agosto, quando os quatro rapazes cometeram um duplo estupro coletivo na praia de Miramare. Na ocasião, um amigo da polonesa foi agredido até perder os sentidos e, em seguida, a mulher foi estuprada e logo após jogado ao mar. Dois menores negaram ter cometido o ato sexual, mas confirmaram ser responsáveis pelo espancamento do amigo de uma das vítimas.

“A prisão foi uma dupla satisfação porque foram as duas vítimas que colocaram as algemas no quarto homem. É um gesto simbólico que fez justiça às vítimas da violência”, afirmou o investigador Maurizio Improta. O último a ser detido foi um congolês de 20 anos, morador de Vallefoglia, na província de Pesaro. Identificado por Guerlin Butungu, o jovem é considerado o “chefe branco” do grupo. Butungu chegou à Itália em 2015 como candidato para obter asilo por razões humanitárias.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!