Na Rússia, site inspirado em “Jogos Mortais” promove identificação, caça e tortura de LGBTs

A morte da ativista de direitos LGBT+, Yelena Grigoryeva, cujo corpo foi encontrado no último domingo (21/07) perto de sua casa, pode estar ligada a um site, inspirado em Jogos Mortais, para promover a identificação, caça e tortura de LGBTs. na Rússia.

Três dias antes de ser assassinada, Grigorieva escreveu sobre o site no Facebook, dizendo que a página estava organizando uma “caçada a pessoas LGBTs”, e que a polícia “ainda não fez nada para encontrar os criadores desse ‘jogo’ e levá-los à justiça”. Os nomes de Grigorieva e de outros ativistas e jornalistas apareceram no site, que trazia o nome completo, telefone, endereço e fotos de ativistas da causa.

Para familiares e amigos da vítima, a morte dela estaria associada às frequentes ameaças que vinha recebendo, principalmente desde que o site, batizado de “Saw”, voltou ao ar. Segundo eles, o simulador de ‘Jogos Mortais’ sempre conseguia retornar após ser derrubado. Além de oferecer proteção legal aos usuários, o “jogo” também alertava que os “caçadores de gays” poderiam fazer qualquer coisa com as vítimas, “menos matá-las”.

Um homem de 40 anos foi detido pelo crime, que ainda segue sob investigação, segundo a NBC. De acordo com o portal, a polícia de São Petersburgo, que assumiu o caso, confirmou que Yelena havia sido ameaçada repetidas vezes, mas alegou que as ameaças não pareceram um risco para sua vida. Os investigadores defenderam que elas poderiam estar ligadas a pessoas que a vítima conhecia ou a problemas familiares.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!